A Equipe do Projeto Estabelecimento do Programa Qualidade de Vida DO ISSEC, Inicia o "MARÇO LILÁS MÊS DE COMBATE AO CÂNCER DE COLO DE ÚTERO", essa ação tem a finalidade de alertar e sensibilizar as colaboradoras e usuárias através da intranet e site institucional com informações sobre esse tipo de câncer. O câncer uterino é o segundo tipo mais frequente entre as mulheres de todo o mundo. No Maranhão e na região norte do país, por exemplo, esse é o câncer que mais mata mulheres, ficando à frente inclusive do câncer de mama. Esse é o tipo de câncer de mais fácil prevenção e tratamento, se diagnosticado a tempo. As chances de cura giram em torno de 80%. Essa doença que pode ser evitada através do exame preventivo, chamado de Papanicolaou, e da vacina contra o HPV, que previne contra o tipo oncogênico do vírus. As instituições que prestam serviços de saúde tem o dever de manter a população bem informada, evitando assim que muitas mulheres morram pela simples falta de conhecimento sobre o assunto.

Desse modo, algumas informações básicas sobre o câncer de colo uterino tornamse essenciais:

- A maior incidência da doença acontece na faixa etária entre 45 e 49 anos de idade e estima-se que o rastreamento sistemático e o tratamento de lesões precursoras possam reduzir bastante a mortalidade pela doença. Medidas de prevenção primária, diagnóstico precoce e o tratamento adequado das lesões invasivas também fazem a diferença.

- As medidas de prevenção são simples. Toda mulher com vida sexual ativa, ou a partir dos 25 anos, deve fazer o exame preventivo, também chamado de Papanicolaou, todos os anos. É através desse exame que inflamações e alterações iniciais podem ser descobertas e tratadas logo, antes de evoluírem para uma doença agressiva e que pode levar a morte.

- Além do exame preventivo anual, hoje já se pode prevenir a infecção pelos principais tipos de HPV associados ao câncer de colo uterino através da vacina contra o HPV. Essa vacina está disponível nos Postos de Saúde gratuitamente para meninas de 9 a 13 anos e devem ser tomadas as 3 doses para uma maior eficácia.

- Apesar de ser mais eficaz quando administrada em meninas antes do início da vida sexual, mulheres mais velhas também podem se beneficiar do uso da vacina. Além disso, mesmo as mulheres que foram vacinadas devem continuar realizando o exame preventivo quando atingirem a idade recomendada.

Exame preventivo do câncer de colo uterino (Papanicolaou)

O que é?

É um teste realizado para detectar alterações nas células do colo do útero. Este exame também pode ser chamado de esfregaço cervicovaginal e colpocitologia oncótica cervical. O nome "Papanicolaou" é uma homenagem ao patologista grego Georges Papanicolaou, que criou o método no início
do século. Esse exame é a principal estratégia para detectar lesões precocemente e fazer o diagnóstico da doença bem no início, antes que a mulher tenha sintomas. Pode ser feito em postos ou unidades de saúde da rede pública que tenham profissionais capacitados. É fundamental que os serviços
de saúde orientem sobre o que é e qual a importância do exame preventivo, pois sua realização periódica permite que o diagnóstico seja feito cedo e reduza a mortalidade por câncer do colo do útero. O exame preventivo é indolor, simples e rápido. Pode, no máximo, causar um pequeno desconforto que diminui se a mulher conseguir relaxar e se o exame for realizado com boa técnica e de forma delicada. Para garantir um resultado correto, a mulher não deve ter relações sexuais (mesmo com camisinha) nos dois dias anteriores ao exame, evitar também o uso de duchas, medicamentos vaginais e anticoncepcionais locais nas 48 horas anteriores à realização do exame. É importante também que não esteja menstruada, porque a presença de sangue pode alterar o resultado. Mulheres grávidas também podem se submeter ao exame, sem prejuízo para sua saúde ou a do bebê.

Como é feito o exame?

- para a coleta do material, é introduzido um instrumento chamado espéculo na vagina (conhecido popularmente como “bico de pato”, devido ao seu formato);

- o médico faz a inspeção visual do interior da vagina e do colo do útero;

- a seguir, o profissional provoca uma pequena escamação da superfície externa e interna do colo do útero com uma espátula de madeira e uma escovinha;

- as células colhidas são colocadas numa lâmina para análise em laboratório especializado em citopatologia.

Quem deve fazer e quando fazer o exame preventivo?

Toda mulher que tem ou já teve vida sexual deve submeter-se ao exame preventivo periódico, especialmente as que têm entre 25 e 59 anos. Inicialmente, o exame deve ser feito anualmente. Após dois exames seguidos (com um intervalo de um ano) apresentando resultado normal, o preventivo pode passar a ser feito a cada três anos.

O que fazer após o exame?

A mulher deve retornar ao local onde foi realizado o exame (ambulatório, posto ou centro de saúde) na data marcada para saber o resultado e receber instruções. Tão importante quanto realizar o exame é buscar o resultado e apresentá-lo ao médico.

Resultados

Se o exame acusou:

- Negativo para câncer: se esse for o primeiro resultado negativo, a mulher deverá fazer novo exame preventivo um ano depois. Se ela já tem um resultado negativo no ano anterior, deverá fazer o próximo exame preventivo daqui a três anos;

- Alteração (NIC I): repetir o exame seis meses depois;

- outras alterações (NIC II e NIC III): o médico decidirá a melhor conduta. A mulher precisará fazer outros exames, como a colposcopia (exame feito com o colposcópio: aparelho com lentes de aumento e câmera para visualizar o colo do útero, vagina, períneo);

- infecção pelo HPV: deverá repetir o exame seis meses depois;

- amostra insatisfatória: a quantidade de material não deu para fazer o exame. Ela deve repetir o exame logo que for possível. Independente desses resultados, a mulher pode ter alguma outra infecção que será tratada. Deve seguir o tratamento corretamente e, às vezes pode ser preciso que o seu parceiro também receba tratamento. Nesses casos, é bom que ele vá ao serviço de saúde receber as orientações diretamente dos profissionais
de saúde.

OBS.: Os sintomas do câncer do colo do útero só aparecerão em fase já adiantada da doença: sangramento e dor nas relações sexuais.

Importante:

Somente um médico pode diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter  educativo.

PROJETO ESTABELECIMENTO DO PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA DO ISSEC:

Equipe:

LIDER:
Eldo Diniz

VICE LIDER:
Dr. Carlos Kleber

MEMBROS:
Patricia Silva,
Jessica Gomes,
Regina  Magalhães  
Patricia Nobre
Eurideia Pinheiro
Gledson Domingos
Kátia Colares

Instituto Nacional do Câncer
Créditos: Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde
Fonte: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/237_papanicolau.html